Other Languages

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Marítimo vs Benfica



As equipas atravessam um mau momento no campeonato, sobretudo no plano da qualidade de jogo. Curiosamente também experimentaram a chicotada psicológica, embora os encarnados tivessem substituído Rui Vitória por...Rui Vitória. 

Os madeirenses quiseram adoptar um estilo mais atacante na nova temporada com Cláudio Braga, mas após a eliminação da Taça de Portugal contra o Feirense colocaram as esperanças de regressar à luta pelas competições europeias em Petit. Gonçalo Silva acredita que "neste momento existe mais equilíbrio e combatividade depois da perda de bola". 

A manutenção de Rui Vitória também ofereceu um novo fôlego ao Benfica porque desde a goleada em Munique não houve mais desaires nem golos sofridos. Contudo, Francisco Lima considera que "existem muitos problemas para resolver como a consolidação do 4x3x3, nomeadamente no meio-campo". 

As mudanças no início da temporada podem ser a principal causa da instabilidade competitiva. A incapacidade dos reforços se integrarem no onze titular com excepção de Vlachodimos, preocupa o adepto benfiquista porque "não há soluções no banco para alterar os maus resultados". Por seu lado, o anfitrião não sente saudades de Éber Bessa, já que, "Gamboa e Vukovic cumprem bem a missão". 

O barulho à volta das formações pode ser um motivo para não haver nota artística. Contudo, a necessidade de ganhar de ambos tem o condão de alterar as expectativas mais negativas. O adepto madeirense realça a vontade de "regressar às vitórias para recuperar a motivação dos jogadores". Por sua vez, Francisco Lima garante que "cada ponto perdido coloca mais pressão sobre o treinador encarnado".

Liga Europa. Vontade dos gregos na segunda parte resultou no merecido apuramento

Grupo F
6ª jornada

Olympiacos 3 AC Milan 1

Pape Abou Cissé, Kostas Fortunis, Zapata a.g - Cristián Zapata

O golo de Fortunis de penalti aos 81 minutos tirou os italianos da próxima fase. O desafio teve duas partes distintas, já que, todos os golos foram marcados na etapa complementar.

Na primeira metade, os visitantes mostraram mais competência, faltando apenas o golo para colocar o adversário numa situação complicada. Os dois remates de Çalhanoglu, nos minutos 5 e 45, e outro de Kessie aos 41, foram as oportunidades que mereciam o tento inaugural. No entanto, o grande livre de Fortunis perto do final também podia ter outro destino.

Os gregos aumentaram a velocidade na segunda parte porque precisavam de marcar dois golos. As mudanças foram visíveis com mais participação de Fetfazidis e Podence no processo atacante, nomeadamente aos 47 minutos em que o número 10 remata após a assistência do jogador português.

Antes do primeiro golo nos últimos 30 minutos, houve um período de remates nas duas balizas, embora com pouco perigo para Pepe Reina e José Sá.

O marcador abriu aos 60 minutos com um cabeceamento de Pape Cissé depois de um canto. Três minutos depois, Podence podia aumentar a vantagem. Os visitantes voltaram à carga com uma iniciativa de Higuain, mas dificilmente tem a capacidade para resolver jogos sozinho, como se viu num falhanço incrível aos 77.

No minuto 69 acontece uma situação insólita porque Zapata desvia a bola para a própria baliza. O gesto do colombiano é bastante forte, já que, o esférico voou sobre a cabeça do guardião espanhol.

O objectivo dos gregos estava alcançado, mas Zapata redimiu-se com o 2-1 através de mais um cabeceamento. Contudo, Fortunis colocou alguma justiça no resultado com a marcação do penalti.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Liga Europa. Ben Yedder confirmou o apuramento do Sevilha em 10 minutos

Grupo J
6ª jornada

Sevilha 3 Krasnodar 0

Wissem Ben Yedder 2, Éver Banega

Os andaluzes precisaram apenas de dez minutos para confirmarem a qualificação. Num início de jogo com bastante qualidade, os dois golos de Ben Yedder em 10 minutos fizeram a diferença. 

No minuto 5, um mau alívio do guarda-redes permitiu que a bola fosse ter com o avançado francês depois de uma disputa entre um defesa russo e Roque Mesa. Cinco minutos depois, o meio-campo dos anfitriões recupera a bola, sendo que, o lateral-esquerdo efectua um passe longo para a desmarcação de Ben Yedder, que perante o guarda-redes não perdoa. 

A oposição dos visitantes resumiu-se a um remate de ângulo apertado por parte de Wanderson no minuto 37. Nada mais. 

O 3-0 de Éver Banega de penalti aos 49 determinou o resultado final. 

O Krasnodar tinha interesse em pontuar, mas nos últimos minutos percebeu que só um milagre daria o apuramento ao Standard Liége. A partir dos 70 a maior preocupação passou por sofrer mais golos que colocasse o trabalho em causa.

O Sevilha assume uma candidatura à conquista do sexto troféu na competição.

Champions League. Capacidade colectiva do Lyon permite mais um apuramento

Grupo F
6ª jornada

Shakhtar Donetsk 1 Lyon 1

 Júnior Moraes - Nabil Fekir

Um golo de Nabil Fekir aos 64 minutos apurou o Lyon para os oitavos-de-final. Nesta temporada, o técnico Paulo Fonseca não teve a estrelinha dos últimos anos, sendo relegado para a Liga Europa.

Os franceses jogaram melhor porque contam com jogadores mais tecnicistas. Apesar do golo de Junior Moraes na primeira parte, os visitantes conseguiram dar a volta à situação. 

As inúmeras oportunidades, nomeadamente aos 21 com um remate de Memphis Depay, foram um sinal que o golo iria aparecer em qualquer momento. A dupla que mais se destacou na fase de grupos teve nova combinação interessante com o pontapé de Mendy no minuto 54. 

Os ucranianos desperdiçaram uma derradeira ocasião a dez minutos do final. Ismaily desmarca-se na esquerda depois de um grande passe proveniente do flanco contrário, mas não consegue rematar porque adiantou em demasia a bola.

Champions League. Hoffenheim deixou de tocar na bola depois do golo

Grupo F
6ª jornada

Manchester City 2 TSG Hoffenheim 1

Leroy Sane 2 - Andrej Kramaric

A esperança dos alemães de se apurarem para as eliminatórias da Liga Europa renasceu nos minutos iniciais com uma boa iniciativa de Kramaric. O avançado efectuou um remate perigoso que Ederson defendeu com as pontas dos dedos. Na sequência de um canto, Laporte faz falta sobre um adversário na área. O árbitro assinala o penalti que o croata não desperdiçou.

O problema é que a vontade do City em vencer a partida falou mais alto. O primeiro aviso surgiu por Sane. Mais tarde, três cabeceamentos perigosos de Jesus, Otamendi e Stones causaram calafrios na baliza adversária. O brasileiro enviou a bola ao poste e o argentino acertou na barra. 

O assalto iria terminar com o tento do empate através de um grande golo de Sane depois de um livre. 

Na segunda parte manteve-se a pressão dos citizens, sendo que, a necessidade dos visitantes marcarem originou vários lances de contra-ataques. Contudo, o desperdício de Bernardo Silva e Gabriel Jesus em duas situações impediram que a classe de Sterling nas assistências fossem recompensadas da melhor maneira. 

Na terceira jogada do mesmo género, o extremo alemão coloca a bola dentro da baliza. Sane iniciou o contra-ataque antes do meio-campo, tendo efectuado um passe para Sterling que devolveu a bola ao colega de equipa perante a oposição de três adversários.

Champions League. Viktoria Plzen conseguiu o apuramento para a Liga Europa

Grupo G
6ª jornada

Viktoria Plzen 2 AS Roma 1

Kovarik, Chory - Cengiz Under

O Viktoria Plzen conseguiu o apuramento para as eliminatórias da Liga Europa depois de uma excelente exibição contra os italianos. Uma demonstração de capacidade que se verificou ao longo da prova. 

A AS Roma começou melhor com duas ocasiões, uma por Pastore aos 18 minutos, e uma jogada de Kluivert pela esquerda. 

Os anfitriões só se soltaram na segunda parte, talvez pelo conhecimento da vantagem do CSKA no Santiago Bernabeu. No minuto 62, Kovacik marca o primeiro golo na sequência de um contra-ataque perfeito. O passe da direita também é muito bom. 

O empate surgiu poucos minutos num remate colocado de Cengiz Under. 

Os intérpretes do 1-0 também construíram o resultado final, embora com os papéis invertidos. Kovacik rematou para a defesa do guarda-redes e Chory aproveita a bola solta para colocar um ponto final sobre a justiça no marcador.

Champions League. Nova vitória do CSKA não chega para continuar nas provas europeias

Grupo G
6ª jornada

Real Madrid 0 CSKA Moscovo 3

Chalov, Schennikov, Arnor Sigurdsson

Os merengues realizaram 30 minutos de grande qualidade, mas desuniram-se em campo após o primeiro golo do adversário.

As várias combinações entre Benzema, Vinícius Jr e Marco Asensio possibilitaram inúmeras situações de golo, que indicavam uma vitória fácil. Aos 13 e 29, o número 20 remata com perigo. Após os 20 minutos é a vez do brasileiro ter duas oportunidades pelo lado esquerdo. No entanto, a jogada mais bonita envolvendo os três atacantes, acontece no minuto 31 com mais um pontapé de Asensio. 

A demonstração de superioridade do Real Madrid terminou nesse momento. 

Os russos marcaram na primeira ocasião. Um remate de fora da área de Chalov inaugura o marcador. No entanto, o jogador tem um drible fabuloso antes de colocar a bola longe do alcance de Courtois. 

O 2-0 também aparece na etapa inicial. Schennikov aproveita uma bola que toca no guarda-redes belga após um remate de Mário Fernandes. O lateral brasileiro ludibriou a defesa do adversário.

A capacidade ofensiva do Real Madrid diminuiu bastante e nem sequer uma situação de Isco mudou a atitude. O falhanço do jogador não foi aceite pelas bancadas que assobiaram a falta de empenho. 

O terceiro golo apareceu com naturalidade, apesar dos visitantes se concentrarem na organização defensiva. Sigurdsson remata à vontade na área depois de um bom passe de Vlasic. 

O Real Madrid qualifica-se para a próxima fase com o estatuto de campeão europeu, mas não de candidato. Por seu lado, os russos ganharam os dois jogos contra os merengues, mas não conseguiram a manutenção nas competições europeias.

Champions League. Benfica cumpre a obrigação no último jogo da prova

Grupo E 
6ª jornada

Benfica 1 AEK 0

Alex Grimaldo

Uma exibição positiva na despedida de mais uma participação negativa na Champions. O golo de Alex Grimaldo de livre directo aos 88 minutos foi o único momento de alegria dos adeptos. 

No último jogo, o Benfica demonstrou novamente mais qualidade que os gregos. No entanto, demorou bastante tempo para alcançar o golo. As oportunidades sucederam-se porque havia a vontade de terminar a prova com um triunfo.

Tudo começou e acabou com um livre do lateral-esquerdo. No minuto 15, surge a primeira tentativa de bola parada. Cinco minutos depois, João Félix efectua um cruzamento para a entrada de Seferovic. O suíço procurou o golo em duas situações, sendo que, aos 70 enviou a bola à barra depois de um forte cabeceamento. 

No plano negativo, destaque para os maus cabeceamentos dentro da grande área, nomeadamente os centrais que tiveram várias oportunidades. Jardel e Rúben Dias precisam de afinar a pontaria para o aproveitamento nos lances aéreos ser melhor. 

A exibição de Gedson Fernandes também deixou a desejar. O jovem teve um remate no minuto 47, mas perdeu uma excelente hipótese de marcar um golo na parte final, tendo mostrado incapacidade de ultrapassar o guarda-redes numa situação privilegiada. 

O AEK imitou a prestação do adversário na última temporada. Isto é, zero pontos em seis jogos.

Champions League. Magia de Carlos Soler foi suficiente para vencer o United

Grupo H
6ª jornada

Valência 2 Manchester United 1

Carlos Soler, Jones a.g - Marcus Rashford

O Valência despede-se com honra da competição, apesar de continuar nas provas europeias. Uma exibição positiva e descontraída de uma equipa que ainda não encontrou o caminho do sucesso. Contudo, em 90 minutos parecem ter alcançado o topo do futebol europeu. 

O grande golo de Carlos Soler na área marcou o início de uma exibição positiva. O médio voltou a ameaçar a baliza de Romero, poucos minutos depois, de inaugurar o marcador. Os visitantes responderam com um remate potente de Mata em zona privilegiada. 

O número 8 também foi protagonista do segundo golo devido ao excelente passe para isolar Batshuaiy. Contudo, a bola é desviada por Jones. A jogada merecia ser concluída com o golo do jogador belga, que continua arredado das primeiras opções. 

A entrada de Rashford tornou o Manchester United mais atacante, embora se mantivesse num ritmo lento. No final da partida, o jogador inglês concluiu de cabeça a melhor jogada dos visitantes em todo o encontro.

Champions League. Young Boys despede-se da competição com uma boa exibição

Grupo H
6ª jornada

Young Boys 2 Juventus 1

Guillaume Hoarou 2 -  Paul Dybala

Os suíços tiveram um prémio justo na despedida das competições europeias. Um triunfo sobre o eterno campeão italiano moraliza qualquer equipa, sobretudo contra os melhores jogadores. 

Os visitantes começaram a partida com força através de dois remates de Cristiano Ronaldo, sendo que, o segundo passou perto do segundo poste. No entanto, no ataque do Young Boys também estava um ponta-de-lança com qualidade. Guillaume Hoarou mostrou nesta edição que pode ambicionar outros palcos. 

A primeira ameaça surgiu aos 18 minutos com um bom remate. Dez minutos depois, inaugura o marcador com um penalti. O grande momento acontece aos 67 minutos, em que desfere um pontapé forte antes da grande área que aumenta a vantagem. 

Os esforços de CR7 foram insuficientes para introduzir a bola dentro da baliza do adversário. No plano colectivo, Douglas Costa tentava construir as melhores jogadas, como no minuto 27. A entrada de Dybala alterou a eficácia porque conseguiu marcar nos dois remates que efectuou. Contudo, o único que contou foi aos 80 minutos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Champions League. Tadic e Lewandowski bisaram num grande jogo de futebol

Grupo E 
6ª jornada

Ajax 3 Bayern Munique 3

Dusan Tadic 2, Nicolás Tagliafico - Robert Lewandowski 2, Kingsley Coman

A luta pelo primeiro lugar no grupo proporcionou um grande jogo de futebol. As duas equipas deram tudo em campo, como provam os golos nos descontos da segunda parte. 

O início do Bayern Munique foi demolidor, já que, criou três oportunidades, cujo protagonista é Sergey Gnabry. O extremo tem um remate perigoso aos 2 minutos. Mais tarde, aproveita um mau passe de Tagliafico em zona proibida para efectuar um pontapé perigoso frente a Onana, mas o guarda-redes responde com uma boa defesa. Dois minutos depois, assiste Robert Lewandowski para o primeiro golo do desafio. 

Os holandeses também se aventuraram no ataque porque só a vitória garantia a liderança e o sonho de ultrapassar os oitavos-de-final. O destaque pertence a David Neres e Van den Beek. Os dois protagonizaram uma jogada interessante aos 5 minutos, tendo repetido a fórmula antes da meia-hora, embora tenha sido o brasileiro a cruzar para o colega. 

A cantera continua a fazer maravilhas no meio-campo. No minuto 61, De Jong tem uma abertura fantástica na direita para Ziyech. O marroquino cruza desde a linha de fundo para Tadic que se encontrava no lado contrário para igualar a partida no segundo poste. 

As expulsões em cada formação não diminuíram a intensidade. Pelo contrário, houve mais espaço para jogar, embora o terceiro e quarto golos só tenham surgido de penalti.

A emoção subiu nos descontos devido à qualidade dos tentos marcados por Kingsley Coman e Tagliafico, sobretudo o do jogador dos alemães que remata com muita força dentro da área para o fundo da baliza. Por fim, os anfitriões imitaram a jogada do primeiro golo para encerrarem o marcador.