Estratégias para travar os grandes

Os três principais candidatos ao título tiveram maus resultados por causa de falhas na finalização, mas também devido a falta de concentração. As tácticas utilizadas pelos treinadores não sofreram alterações relativamente à primeira jornada, embora os adversários se tenham apresentado mais organizados do que Vit.Guimarães, Tondela e Estoril. O Arouca, Marítimo e Paços de Ferreira têm mais qualidade e souberam anular os pontos fortes dos grandes. 

O Paços de Ferreira teve um herói chamado Marco Baixinho, mas foi recompensado pela forma como explorou a fraca defesa leonina. Os pacenses não conseguiram controlar as investidas de Carrillo ou Bryan Ruiz. O Marítimo neutralizou o meio-campo portista. Não deixou que Danilo, Imbula e Herrera tivessem posse de bola. O meio-campo do Marítimo foi mais forte física e tacticamente. Por sua vez, o Arouca aproveitou a instabilidade que reina na defesa do Benfica, que demonstrou contra o Estoril pouca fiabilidade. Após o tento só deu Benfica, mas a grandeza de Bracalli não permitiu sequer o empate. 

Os homens do ataque dos grandes estiveram muito mal ao desperdiçar oportunidades claras de golo. O destaque vai para a perdida de Aboubakar na Madeira. 

Comentários

Mensagens populares