Benfica aposta na formação de jovens chineses (parte 1)



Os treinadores portugueses têm obtido excelentes resultados no estrangeiro. O caso mais popular é o de José Mourinho, que conseguiu títulos em Inglaterra, Itália e Espanha. Nos últimos anos vários técnicos chegaram ao topo, como foi André Villas Boas no Zenit, Paulo Sousa no Maccabi Tel-Aviv, Videoton e Basileia, além das boas prestações de Leonardo Jardim no Mónaco.

A geração mais nova promete continuar o bom trabalho dos mais velhos. Os futuros treinadores portugueses preferem aprender fora do país do que esperar por uma oportunidade em Portugal. A Europa é o destino habitual, mas o desenvolvimento do futebol noutros pontos do mundo acaba por convencer os mais novos.

O jovem João Correia trabalha na China numa parceria entre o Benfica e uma empresa chinesa cujo objectivo passa por “remodelar os métodos de treino locais relativamente à formação de jovens jogadores”. João e mais cinco treinadores são responsáveis por treinarem equipas de todos os escalões de formação, mantendo a metodologia utilizado pelo clube encarnado. O jovem técnico explicou ao Golo que as equipas estrangeiras procuram o “treinador português porque consegue adaptar-se a qualquer desafio”. Neste momento, as dificuldades de treinar em Portugal “não são fáceis”.

O desejo de triunfar também foi o principal motivo para João Castelo-Branco ter ido para Inglaterra acabar a universidade e completar os cursos necessários para iniciar uma carreira de treinador. A intenção do jovem técnico também passa por Portugal devido ao reconhecimento internacional. João Castelo-Branco afirma que “o nosso país tem uma das melhores escolas do mundo”. A dúvida reside apenas no sítio para começar a carreira, já que, ninguém consegue evitar que João respire futebol 24 horas por dia.  

Comentários

Mensagens populares