Os imprescindíveis de Rui Vitória

A temporada do Benfica tem girado à volta de três jogadores fundamentais, embora o chavão "colectivo" seja uma verdade no futebol, em particular na equipa liderada por Rui Vitória porque cada jogador uma função especial. No entanto, Renato Sanches e os dois atacantes do costume merecem ser destacados pela forma como resolvem problemas. 

O médio benfiquista que se notabilizou na equipa B ocupa uma função semelhante à de Enzo Pérez, mas oferecendo maior força. Renato Sanches não é mais veloz que o argentino e tem algo que necessita melhorar urgentemente. O jovem jogador ainda falha muitos passes devido à vontade que tem de contribuir. Talvez com mais pausa pare pensar o jogo, Sanches venha a ser um grande jogador naquela posição. Por esta razão não acredito que na próxima temporada esteja a defender a camisola de um grande clube europeu. No entanto, o jogo ofensivo encarnado necessita das qualidades do médio para depois ser aproveitada pelos criativos Pizzi e Gaitán, que colocam a bola nos pontas-de-lança.

Os golos de Jonas, Mitroglou e Raúl Jiménez fazem a diferença. Há muito tempo que o Benfica não tinha avançados com esta qualidade e em quantidade suficiente para resolver partidas, como tem acontecido. Rui Vitória não precisa de inventar para jogar sempre com dois avançados, além de que, se um não estiver com a pontaria afinada há sempre Raúl Jiménez no banco. Por causa desta abundância o jogo encarnado tem sido consistente e sofrido evolução ao longo da temporada. 

Comentários

Mensagens populares