Euro 2016. Força colectiva apurou italianos, belgas e irlandeses


O calculismo e a táctica estiveram sempre à frente do espectáculo. As quatro equipas optaram por arriscarem menos para não perderem. A Itália do costume conseguiu ganhar dois jogos, enquanto a Bélgica foi a única com capacidade de produzir espectáculos, como aconteceu no jogo frente à Suécia. Os suecos e irlandeses tentaram ser pragmáticos, mas apenas os britânicos recolheram frutos da opção utilizada. Por estas razões, não é de espantar que a Suécia só tenha marcado através de um auto-golo de um jogador irlandês e a Irlanda só tenha marcado dois golos. Também não se pode dizer que os três golos da Itália são um bom sinal. A Bélgica foi a equipa mais eficaz porque preferiu jogar pelo chão do que tentar lançamentos longos. Neste aspecto, a Suécia não beneficiou por ter Zlatan Ibrahimovic. 

A Itália tem condições para ganhar o troféu. A equipa não é conhecida, mas tem o treinador mais competente do campeonato. A forma como venceu a Bélgica será aplicada nas eliminatórias, embora com mais tentativas de chegar ao golo. Quando as estratégias italianas resultam nestas competições, é um sinal que a equipa vai longe. 

Os belgas apareceram como candidatos pelo futebol que produzem, devido ao talento de Hazard, De Bruyne e Mertens. Os golos só apareceram no segundo jogo, apesar da boa prestação contra a Itália. A vitória frente à Suécia poderia ter sido maior senão fosse o guarda-redes Isaksson.

A República da Irlanda conquistou o apuramento como o último melhor terceiro classificado. O herói da proeza foi Brady, que bateu a defesa italiana com uma cabeçada. A única forma de marcar golos aos italianos. A qualidade não abunda, mas há a vontade e o esforço britânico que, de vez em quando, ganha jogos.

O anúncio da despedida de Zlatan Ibrahimovic da selecção não motivou os colegas, mas também era difícil fazer melhor com uma equipa que joga os 90 minutos para o antigo craque do PSG. Não existe plano B, C ou D porque o único capaz de resolver era o avançado. No entanto, a figura da equipa acabou por Isaksson. O guarda-redes deve ser o único que se manterá na fase de qualificação para o mundial.

O grupo teve 10 golos.

NOTAS
Itália - Bélgica (0-2) ---> Eden Hazard
República Irlanda - Suécia (1-1) --> Martin Olsson
Bélgica - República Irlanda (3-0) --> Lukaku
Suécia - Itália (0-1) --> Eder
Suécia - Bélgica (0-1) ---> Nainggolan
República Irlanda - Itália (1-0) ---> Brady

Melhor jogador do grupo: Eden Hazard
Melhor jogo: Itália - Bélgica

Comentários

Mensagens populares