Other Languages

domingo, 11 de dezembro de 2016

Liga NOS. A vitória da experiência sobre os erros de um treinador em queda

13ª jornada

Benfica 2 Sporting 1

Golos: Salvio, Raúl Jiménez - Bas Dost
MVP: Rafa - Bas Dost

A vitória do Benfica não sofre contestação porque as águias estiveram sempre por cima dos leões em todos os momentos do jogo. A diferença entre águias e Sporting esteve na experiência de uma equipa relativamente à outra, apesar de Jorge Jesus ser um treinador batido, mas Rui Vitória tem jogadores que foram bem preparados pelo actual técnico leonino durante a longa estadia no Estádio da Luz. Rui Vitória só tem de dar um pouco de toque pessoal, reunir e motivar o grupo de trabalho. 

O Sporting começou melhor com duas situações de jogo, sendo que, o remate de Gelson foi o mais perigoso. O jogo estava controlado pelas águias, mas as memórias do 0-3 do ano passado voltaram às bancadas da Luz. O domínio exercido foi bem aproveitado pelo Benfica fazer o 1-0 numa jogada de contra-ataque, em que Rafa faz um passe de trivela para Salvio inaugurar o marcador. O meio-campo do Sporting, apesar de contar com Adrien e William não sabe parar os contra-ataques e a defesa nunca irá ser melhor com os actuais jogadores. 

O golo permitiu ao Benfica crescer no jogo, sempre com Pizzi, Salvio e Rafa como principais quebras-cabeças para a defesa leonina. No adversário faltava sempre criatividade e talento para furar a organização defensiva dos encarnados que se manteve impecável e sem mexidas por parte do treinador Rui Vitória. 

No segundo tempo a toada do jogo mudou a favor do Sporting porque Joel Campbell conseguiu desequilibrar, fazendo bem melhor que Bryan Ruiz, Bruno César e Gelson Martins. O norte-americano foi responsável por todas as jogadas de perigo do Sporting, inclusive a que deu o 2-1 aos leões por Bas Dost, mas antes ainda há algumas situações para relatar como o golo do Benfica. 

Numa das incursões atacantes do Sporting, Bas Dost rematou ao poste, embora no contra-ataque, Jiménez ganha a bola de cabeça a João Pereira num cruzamento de Nelson Semedo dentro da pequena área leonina. Jorge Jesus tem de perceber porque razão os médios não fazem trabalho defensivo com qualidade, e porque os jogadores do ataque continuam apáticos.

A dança das substituições começou a vinte minutos do final. Nesta altura, Jesus espanta o mundo com as entradas de Alan Ruiz e André, tirando Bas Dost. A partir daí, a organização defensiva do Benfica não teve mais dificuldades porque os suplentes do Sporting não têm qualidade, como vem sendo demonstrado na primeira metade do campeonato. Também é verdade que Rui Vitória mexeu mal com a colocação de Danilo, mas fez bem ao ter guardado a última substituição para os descontos. 

O resultado confirma que a experiência dos jogadores tem sido fundamental para as conquistas do Benfica nesta temporada e o plantel do Sporting é curto para vencer a liga, pelo que, Jesus teve de deixar cair as competições europeias. O técnico leonino começa a perceber que errou nalgumas contratações.

Os três pontos aumentam a distância do Benfica para o Sporting em cinco pontos com todos os clássicos jogados na primeira volta. Os leões caíram para o terceiro lugar.

Sem comentários:

Enviar um comentário