Taça da Liga. Pedro Santos e Xeka equilibram ideia de Jorge Simão

Meia-Final

Sp.Braga 3 V.Setúbal 0

Golos: Pedro Santos, Stoilikjkovic, Rodrigo Pinho

Os guerreiros do Minho garantiram a segunda presença na história da competição depois de terem vencido em 2013.

O jogo frente ao V.Setúbal foi o mais fácil da caminhada rumo à final de Domingo. 

O técnico bracarense equilibrou a equipa, apesar de não ter mudado muito a estrutura deixada por José Peseiro. Nota-se mais acerto defensivo com a presença de Xeka e o regresso de Pedro Santos ao onze. O ausência em jogo de João Amaral resulta da boa leitura de Jorge Simão. Destaque para a velocidade que Battaglia acrescenta à equipa.

No plano táctico, Simão venceu Couceiro porque tem melhores jogadores, embora os golos tenham nascido de dois erros dos defesas sadinos. No primeiro golo, foi cometida uma grande penalidade e no segundo, Nuno Pinto permite a Rui Fonte ganhar uma bola à entrada da área. 

O aproveitamento do ataque é outra melhoria da equipa relativamente ao passado. Rui Fonte anda mais solto pelo campo, tendo tempo para ajudar a equipa na defesa. O Sp.Braga parece ter ganho mais um avançado com a inclusão de Rodrigo Pinho. 

Os sadinos praticamente não tiveram oportunidades. Amaral e Edinho andaram escondidos devido às marcações dos defesas bracarenses. 

O primeiro objectivo da temporada não escapou a Jorge Simão.

Comentários