Champions League. Três balas ainda não garantem meias aos campeões italianos

Quartos-de-final
1ª Mão

Juventus 3 Barcelona 0

Golos: Dybala 2, Chiellini

O resultado negativo do Barcelona é melhor do que o alcançado em Paris, mas a exibição foi a mesma. A reacção ténue na segunda parte não iliba os catalães de, nesta altura, jogaram pouco futebol, como se verificou no último fim-de-semana na liga espanhola.

O meio-campo do Barcelona não funciona devido à veteranice de Iniesta e também por falta de um número 6. A culpa não pode ser atribuída apenas a André Gomes, mas à forma como Luis Enrique insiste em defender. O remate de Higuain no segundo tempo à entrada da área é um sinal da incapacidade defensiva.

O campeão italiano começou o jogo como quase todos os adversários do Barcelona têm feito. Uma pressão sufocante, velocidade nas transições e eficácia na finalização. A Juventus conseguiu imitar o PSG, mas tem um trunfo que os franceses revelaram não ter em Camp Nou. Uma grande organização defensiva que começa num excelente guarda-redes. Buffon evitou duas vezes o golo que daria mais tranquilidade aos catalães na segunda mão. 

O início da segunda parte foi mesmo o único em que o Barcelona tentou colocar em prática algum futebol, mas também se nota descoordenação no ataque, embora de vez em quando saia um coelho da cartola. Neste desafio, Messi e Suárez estavam bem marcados. 

O filme do Barcelona-PSG pode voltar a acontecer porque em Camp Nou quem manda são os catalães. Contudo, a Juventus já sabe qual é a estratégia do adversário. Só mais surpresas colocam os espanhóis novamente nas meias-finais.

Craque do jogo: Dybala

Comentários

Mensagens populares