La Liga. Isco e Morata também merecem serem rotulados de estrelas

32ª jornada

Sp.Gijón 2 Real Madrid 3

Golos: Cop, Vesga - Isco 2, Morata

O treinador Zinedine Zidane arriscou ao deixar apenas um jogador habitual no onze titular frente ao Gijón. Sergio Ramos teve 10 novos companheiros, incluindo o guarda-redes.

A estratégia começou por correr mal, mas terminou da melhor forma, já que, o golo de Isco deve colocar um ponto final na luta pelo título, apesar do clássico da próxima semana ser decisivo. 

As mudanças operadas pelo treinador francês baixaram o ritmo de jogo, além de provocar desequilíbrios defensivos como se notou no primeiro golo. No plano ofensivo, nem Danilo e Coentrão garantem qualidade nos cruzamentos, pelo que, foi necessário recorrer à ajuda de Marcelo na segunda parte. 

No meio-campo e ataque as diferenças são abissais, à excepção de Isco, Morata e James. Os três são sempre os jogadores que mais vezes substituem os habituais titulares. O problema é que neste desafio, James e Isco desempenhavam o mesmo papel no meio-campo, não tendo liberdade suficiente para criar perigo. O espanhol teve mais ousadia, marcando dois golos, sendo que, o primeiro é uma bela jogada individual. James tinha de cumprir tarefas defensivas porque o número 22 apareceu mais vezes junto de Morata.

A fraca qualidade dos extremos também originou mais caudal ofensivo pelo meio, podendo o Gijón juntar linhas. 

A vitória surgiu nos descontos devido à pressão final. Os merengues podem encarar o clássico frente ao Barcelona sem muita pressão e cumprir a obrigação nas restantes cinco jornadas.

Comentários

Mensagens populares