Other Languages

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Taça de Portugal. Experiências no ataque e erros defensivos deram oportunidade ao Estoril de sonhar com a final

Meia-Final 
2ª Mão

Benfica 3 Estoril 3

Golos: Carrillo, Zivkovic, Jonas - Bruno Gomes 2, Carlinhos

Um grande jogo que dignifica a competição. O Benfica regressa ao Jamor três temporadas depois da última conquista frente ao Rio Ave. 

As duas equipas criaram várias oportunidades durante o encontro, sendo que, o primeiro golo pertenceu ao Estoril. Rui Vitória arriscou ao não colocar nenhum ponta-de-lança, preferindo um ataque móvel com Zivkovic, Rafa, Cervi e Carrillo, mas apenas o sérvio e o peruano estiveram numa noite inspirada. 

No outro lado, Carlinhos e Bruno Gomes colocaram a nu as fragilidades de Lisandro e a má forma de Lindelof. 

Os encarnados estiveram sempre em desvantagem aos 31 e 46 minutos, embora por pouco tempo porque a velocidade de Carrillo e a magia de Zivkovic descansaram a plateia da Luz. O empate chegava para voltar ao Jamor, mas era preciso mais qualidade no ataque para acabar com o jogo. A presença de Rafa como número 9 não acrescenta nada à equipa. Zivkovic teve de inventar jogadas nem sempre aproveitadas pelo português. 

O treinador benfiquista lançou Jonas que aproveitou a primeira oportunidade de golo. A entrada de Pizzi também serviu para segurar a vantagem no jogo e na eliminatória. O problema é que o relaxamento final deu oportunidade ao Estoril de empatar e colocar pressão no Estádio da Luz. 

A experiência efectuada por Rui Vitória pode ter sentido, embora necessite de ser trabalhada. O treinador ainda não sabe qual é a melhor posição para Rafa. 

O empate no jogo e o triunfo na eliminatória permite ao Benfica reencontrar os vimaranenses na final. Rui Vitória volta ao Jamor, mas como técnico dos encarnados. 

Sem comentários:

Enviar um comentário