Confederations Cup 2017. Velho sistema já não garante vitórias sofridas

Grupo A 

Portugal 2 México 2

Golos: Ricardo Quaresma, Cédric Soares - Javier Hernandez, Hector Moreno

O resultado da selecção nacional é muito melhor que a exibição, apesar de nos últimos dez minutos, Portugal ter feito para justificar a vitória. No entanto, não se pode desperdiçar 80 minutos de jogo.

O seleccionador regressou ao 4x3x3 que nos deu a glória no Euro 2016, embora sem grande chama. O 4x4x2 que nos coloca praticamente no Mundial com goleadas só foi utilizado nos últimos dez minutos depois das entradas de Gelson Martins e André Silva. O tento do México é injusto tendo em conta o que se passou nesse período de tempo, mas o empate aceita-se só pelos 80 minutos.

A filosofia do seleccionador continua a ser a mesma do último europeu e não a da fase de qualificação porque a derrota frente à Suíça obrigou a mudanças profundas. A partir de agora, Portugal precisa de vencer a Rússia e a Nova Zelândia para alcançar as meias-finais. 

O sistema que depende da mobilidade e génio de Cristiano Ronaldo, Quaresma e Nani deixou de funcionar porque falta sempre uma peça em forma e o meio-campo também não tem agressividade atacante com André Gomes. Moutinho é curto para ser o elemento de ligação para os homens da frente. A equipa não se pode dar ao luxo de ter um craque na posição 9, sobrando apenas dois jogadores, mesmo com a ajuda dos laterais. Ronaldo raramente consegue ter bola na grande área do adversário.

Os erros defensivos de Portugal ajudaram ao empate, mas os mexicanos mandaram no jogo, embora sem criar grandes problemas. 

O velho sistema utilizado na conquista do Euro 2016 não vai trazer benefícios porque os adversários anularam as poucas virtudes e exploram bem as fraquezas. Fernando Santos tem de mudar porque só assim obtém as quatro vitórias necessárias para trazer mais uma taça para o país.

Comentários

Mensagens populares