Champions League. Ronaldo evita mais uma reviravolta italiana

Quartos-de-final
2ª Mão

Real Madrid 1 Juventus 3

Golos: Cristiano Ronaldo - Mandzukic 2, Matuidi

A história do desafio entre merengues e bianconeri durante 90 minutos é semelhante ao AS Roma - Barcelona que chocou os adeptos do futebol.

A Juventus entrou a todo o gás, marcando um golo aos 3 minutos por Mandzukic. A cabeçada dentro da área confirma a fragilidade da defesa espanhola sem Sergio Ramos, tendo sido substituido por Vallejo. O meio-campo composto por Casemiro e Modric não evitou a continuação da avalanche ofensiva, sobretudo pelo lado direito, onde Douglas Costa assumiu protagonismo. Após o golo, a Juventus poderia ter marcado por Higuain.

O Real Madrid conseguiu equilibrar, embora sem necessitar de assustar a defesa contrária. O objectivo passava por aproveitar a subida do adversário no terreno e lançar ataques rápidos com Isco. Contudo, também se notou vontade em guardar a bola para evitar novo fôlego do oponente. 

Nos últimos dez minutos, a vantagem minima satisfazia os interesses da Juventus, mas num lance igual ao primeiro golo, Mandzukic aumenta para 0-2. A segunda resposta foi mais eficaz que na primeira desvantagem porque nos descontos, Varane cabeceia a bola para a barra da baliza de Buffon no seguimento de um livre de Toni Kroos. 

O golo de Matuidi aos 61 minutos surgiu contra a corrente, já que, se deveu a um erro colossal de Keylor Navas. As entradas de Asensio e Lucas Vazquez nos lugares de Casemiro e Bale impediram aventuras desnecessárias dos italianos e permitiram aos merengues utilizarem os flancos como arma para criarem situações, como sucedeu em mais um remate perigoso de Cristiano Ronaldo. 

O cansaço dos italianos e a possibilidade dos anfitriões carregarem no último terço diminuiu os espaços livres, apesar das habituais investidas de Marcelo pelo corredor esquerdo, de um remate perigoso de Isco e nova tentativa de Varane. 

O controlo territorial do Real Madrid entre os 75 e os 98 foi recompensado com a marcação de um penalti por Cristiano Ronaldo que garantiu a oitava presença consecutiva da equipa nas meias-finais. A Juventus só pretendia recuperar forças para o prolongamento onde poderia aproveitar o desnorte táctico de Zidane depois de efectuar todas as alterações.

Faltou à Juventus marcar um golo em casa para seguir em frente.

Comentários