Favoritos ganham vantagem de três golos para a segunda mão



O único desafio dos quartos-de-final que registou uma vantagem de apenas um golo para o vencedor foi o Sevilha-Bayern Munique. Os restantes jogos estão muito perto de ficarem fechados devido ao desequilíbrio no marcador.

Na segunda mão, Barcelona, Real Madrid e Liverpool partem com três golos de vantagem face a AS Roma, Juventus e Manchester City, respectivamente. A tarefa dos últimos não será fácil, embora os italianos e os citizens possam usufruir do factor casa para conseguirem uma reviravolta histórica.

Nos dois encontros onde se esperavam mais equilíbrio, houve ascendente do princípio ao fim de Liverpool sobre o City e do Real Madrid na visita ao terreno da Juventus. Neste último, destaque para mais uma grande exibição de Cristiano Ronaldo com dois golos, um deles de bicicleta, mas também é preciso elogiar a prestação de Salah em Anfield Road com um tento e uma assistência.

A qualidade das formações derrotadas impede que se festeje antes do tempo, embora as prestações na primeira mão, sobretudo da Juventus, sejam um indicador importante nesta fase da temporada.

STATS

Na primeira mão marcaram-se 14 golos, sendo que, em três partidas houve 3 golos. O Barcelona conseguiu marcar o maior número de tentos. A competição contabiliza 367 golos, sendo o período entre os 61-75 minutos onde se marcam mais. 

A posse de bola elevada do Manchester City não teve efeitos práticos em Anfield, mas continua a liderar a estatística com 62%. O Barcelona segue em segundo com 61%, contribuindo a forma como derrotaram os italianos. Apesar da derrota, o Sevilha encerra o top-5 com 56%. Curiosamente o Real Madrid só consegue estar bem posicionado na percentagem de passes com 89%, além de liderarem o total de remates à baliza com 173, seguido do Bayern Munique e do Sevilha. 


Best Of

Melhor Jogo
Sevilha - Bayern Munique
O equilíbrio no resultado prova que se tratou de um grande desafio com duas equipas a assumirem o domínio em fases distintas. Os andaluzes começaram muito bem, como costuma acontecer, embora tivessem demorado a chegar ao golo. A ineficácia prejudicou os espanhóis, já que, o adversário aproveitou os momentos de superioridade na partida, apesar dos golos tivessem sido na própria baliza. Os alemães não tiveram medo de dar um presente envenenado ao Sevilha para mais tarde obter o domínio total e causar pânico. 

Melhor Equipa
Real Madrid
A exibição personalizada dos merengues contra o campeão italiano confirma que são o principal favorito à conquista de mais um título. Os golos de Cristiano Ronaldo resultam da vontade do colectivo em continuar a escrever páginas bonitas na competição. A equipa funcionou como um bloco, apesar do destaque principal ter sido dado a um momento de verdadeira inspiração por parte de Cristiano Ronaldo.

Melhor jogador
Mohammad Salah
O egípcio recebeu 20 votos dos leitores contra 15 do craque português. A exibição de Salah frente ao City também merece aplausos porque marcou um golo e fez uma assistência no terceiro tento de Mané. No plano colectivo, teve mais importância porque imprimiu velocidade e qualidade perante um adversário que não podia ter a bola. Os feitos de Salah são profundamente colectivos.

NOTAS

+ Pontapé de Bicicleta de Cristiano Ronaldo no 0-2 do Real Madrid frente à Juventus

+ Exibição do Liverpool na primeira parte frente ao City

+ Frieza do Bayern Munique no Sanchez Pijzuan

+ Insistência de Ernesto Valverde em tentar furar a defesa do adversário pelo centro da defesa

- Fracas prestações de Juventus, Manchester City e AS Roma comprometem apuramento para as meias-finais

- Quatro auto-golos, dois do Sevilha e dois da AS Roma, embora a UEFA tenha atribuído apenas um aos andaluzes

- Ineficácia do Sevilha nos primeiros minutos

- Organização defensiva da AS Roma após sofrer o primeiro golo em Camp Nou

Comentários