Liga Europa. Sporting precisava de mais soluções para seguir em frente

Quartos-de-final
2ª Mão

Sporting 1 Atlético Madrid 0

Golo: Freddy Montero

O Sporting deu uma imagem bastante diferente em relação à primeira mão, tendo mesmo chegado a encostar o adversário às cordas durante praticamente todo o encontro.

A táctica com três centrais utilizada por Jesus permitiu ganhar a zona onde os colchoneros são mais fortes. Isto é, no meio-campo. A entrega e o espírito de sacríficio foram os mesmos em ambas as equipas, pelo que, a diferença esteve na qualidade dos intérpretes, sobretudo  naqueles que entraram na segunda parte. 

Os visitantes ficaram arrependidos de oferecer a posse de bola ao adversário, já que, o sufoco foi tanto que não conseguiram sair do meio-campo na primeira parte. O duo leonino composto por Bryan Ruiz e Bruno Fernandes originou muitas situações de perigo, além do golo de Freddy Montero. Apesar do 1-0 ter nascido da cabeça do colombiano, notou-se a falta de Bas Dost para lutar com os dois centrais do Atlético.

Apesar do sucesso não se percebe o papel de Bryan Ruiz no jogo ofensivo. O costa-riquenho raramente pega na bola para criar desequilibrio, seja nos cruzamentos ou em jogadas individuais. As tarefas mais importantes couberam a Bruno Fernandes, o jogador que Simeone gostava de excluir da equipa leonina. 

Na segunda parte os visitantes recuperaram a postura ofensiva, embora mantendo sempre as linhas baixas para efectuar passes longos em busca da velocidade de Diego Costa e posteriormente de Torres. As saídas de Griezmann também tornaram-se mais frequentes, como sucedeu em duas ocasiões em que o empate esteve perto de acontecer. 

Os anfitriões perderam consistência no meio-campo, curiosamente depois da saída de Bryan Ruiz, e qualidade no ataque. As alterações de Jorge Jesus voltaram a prejudicar a excelente forma da primeira parte. A entrada de Ruben Ribeiro teve consequências negativas no meio-campo e no ataque. O miolo deixou de ter um jogador que estivesse sempre em cima de Koke e Saul Niguez, o que permitiu as desmarcações de Griezmann. O antigo jogador do Rio Ave não acrescentou nada no lado esquerdo e tirou espaço a Acuna, que jogou bem no primeiro tempo. O pior estava para chegar com a entrada de Doumbia porque Godin e Savic sentiram-se mais à vontade em qualquer tipo de duelo, uma vez que, Montero já estava cansado. 

O problema do Sporting neste jogo está relacionado com a falta de banco. As soluções para substituir os jogadores mais fatigados são fracas, como se viu nos assobios a Ruben Ribeiro no último lance da partida. O técnico leonino deveria ter mantido Bryan Ruiz em campo, mesmo que retire proveito individual, mas sempre contribuiu mais colectivamente do que Ruben Ribeiro e impedia que Bruno Fernandes estivesse a fazer piscinas durante 90 minutos.

Comentários