Liga Portugal. Salvio dá uma cabeçada na monotonia da equipa

31ª jornada

Estoril 1 Benfica 2

Golos: Halliche - Rafa Silva, Salvio
MVP: Renan Ribeiro - Rafa Silva

O golo de Salvio nos descontos garantiu três pontos fundamentais na manutenção da corrida pelo título num desafio em que regressaram os erros antigos numa altura em que não se pode facilitar. O esforço de Rui Vitória fazer ovos sem omoletes tem de ser aplaudido, mas não se pode pedir mais. 

A falta de soluções, da defesa ao ataque, impediu que os encarnados pudessem ir mais além na Amoreira, como sucedeu frente ao FC Porto. Os ataques do Estoril no início da segunda parte provam a vulnerabilidade dos laterais, embora André Almeida seja uma solução de combate. Contudo, neste jogo seria preciso profundidade para apoiar os avançados que estiverm bastante sozinhos. Não há cruzamentos para a grande área, à excepção do último lance que originou o 1-2.

A melhor fase dos anfitriões coincidiu com a quebra de rendimento de Zivkovic, o organizador de jogo e o principal municiador das arrancadas de Rafa. Apesar do golo, o número 27 falhou três oportunidades, colocando mais dúvidas sobre a capacidade de manter a titularidade, sobretudo com a recuperação de forma de Salvio. As substituições efectuadas por Rui Vitória trouxeram mais lenha para o ataque, mas a equipa partiu-se novamente, permitindo ao Estoril encostar-se no meio-campo. No plano ofensivo também sentem-se debilidades depois da lesão de Jonas. Jimenéz falhou um golo à frente de Renan e Seferovic voltou a ser um fantasma em campo.

A sorte que faltou noutros desafios pode ter guiado o Benfica na Amoreira. Nas últimas partidas fora da Luz os triunfos têm sido magros e sempre pela margem mínima, notando-se uma quebra animica depois do adversário empatar e enormes dificuldades na obtenção do triunfo.

Comentários