Liga Portugal. Rui Vitória encontrou finalmente a fórmula para equilibrar os clássicos

33ª jornada

Sporting 0 Benfica 0

MVP: Bryan Ruiz -Rafa Silva

A pressão para manter o segundo lugar condicionou as duas equipas que também sonhavam em disputar o título na última ronda, mas os velhos rivais de Lisboa ofereceram o campeonato de bandeja ao FC Porto.

O onze do Benfica podia ser um indicador daquilo que se iria passar no relvado de Alvalade. As entradas de Douglas, Samaris e a manutenção de Jimenez, com Jonas no banco, foram interpretadas como um convite para o Sporting sufocar o adversário. As contas saíram furadas aos leões, que ficaram preocupados com a perda da posse de bola no meio-campo. 

O treinador encarnado encontrou a fórmula para equilibrar os clássicos. A dupla Samaris-Fejsa impediu que Bruno Fernandes se soltasse com o objectivo de lançar Gelson e Acuna. Ao invés, foram os encarnados que conseguiram as melhores oportunidades, nomeadamente na primeira parte, com jogadas iniciadas no lado direito, com bastante participação de Douglas. A competência de Rui Patrício evitou que o Sporting chegasse ao intervalo em desvantagem por causa de dois lances de Rafa Silva aos 8 e 38, que confirmou o crescimento de forma, e de Zivkovic. 

Os leões equilibraram as contas do miolo na segunda parte. Jorge Jesus tirou William Carvalho por Acuna, colocando Bryan Ruiz no meio, ao lado de Battaglia. Nesse período o Sporting conquistou mais a bola, insistiu bastante pelos flancos, mas a defesa encarnada esteve impecável, com Jardel em destaque, embora Ruben Dias arriscasse o cartão vermelho por causa das disputas, sobretudo com Bas Dost.

O Sporting jogava com dois resultados, mas o Benfica também podia empatar. Contudo, Rui Vitória lançou Jonas, Cervi e Salvio para inventarem um golpe de sorte, o que acabou por não acontecer devido ao receio das duas equipas perderam pontos. O campeonato ainda não acabou para os velhos rivais...

Comentários