Other Languages

sexta-feira, 8 de junho de 2018

História dos Mundiais: Inglaterra 1966


A primeira participação de Portugal num Mundial foi notável, já que, a presença na final esteve à distância de uma vitória sobre os anfitriões. O poderio da Inglaterra fez a diferença, mas os holofotes viraram-se para a selecção das quinas e particularmente para um homem chamado Eusébio. 

O sistema dos últimos campeonatos manteve-se, permitindo a estreia da selecção nacional e da Coreia do Norte. Os dois conjuntos encontraram-se nos quartos-de-final para proporcionarem um dos melhores desafios da história das competições. Não houve qualquer equipa africana no torneio por causa do protesto devido à necessidade do melhor classificado ter de jogar com o representante asiático ou da oceania. 

Na fase de grupos, Portugal ganhou todos os jogos contra a Bulgária, Hungria e Brasil, marcando três golos em cada partida e sofrendo apenas dois no total. Eusébio encantou com três golos, sendo que, dois foram contra o Brasil.A outra equipa estreante também se apurou para a segunda fase com três pontos, atrás da União Soviética. 

O grande jogo dos quartos foi o Portugal-Coreia do Norte. O dia em que Eusébio da Silva Ferreira e a selecção nacional espantaram o mundo começou muito mal. Os norte-coreanos marcaram três golos em 25 minutos. A recuperação histórica iniciou-se dois minutos depois e antes do intervalo o resultado era de 3-2. O que aconteceu na segunda parte já se sabe.....

A Alemanha Ocidental e a União Soviética confirmaram o favoritismo sobre o Uruguai e a Hungria, respectivamente, mantendo a excelente campanha dos mundiais anteriores. Nos germânicos começava a destacar-se Franz Beckenbauer. A Inglaterra também avançou para as meias-finais depois de Hurst ter marcado frente à Argentina. 

As selecções mais fortes conseguiram o apuramento para a final. Os alemães novamente sob a batuta de Beckenbauer ultrapassaram os soviéticos. Na outra partida, o grande Bobby Charlton acabou com as esperanças portuguesas com dois golos aos 30 e 80 minutos. Eusébio reduziu aos 82, mas não serviu para empatar o jogo, saindo debaixo de lágrimas, mas também de enormes aplausos do respeitoso público britânico. 

Na final marcada para o mítico Wembley, os ingleses derrotaram os velhos inimigos na recente segunda guerra mundial com três golos de Geoffrey Hurst, sendo que, os dois do prolongamento ofereceram o primeiro título mundial. 

A selecção nacional esteve perto do título mundial, mas saiu de Inglaterra com o melhor marcador do torneio e o melhor ataque da fase de grupos. Os ingleses não sofreram tentos durante a primeira fase, pelo que, não contribuíram para os 89 golos em todo o torneio.

Sem comentários:

Enviar um comentário