História dos Mundiais: México 1970




O primeiro mundial realizado no México apresentou várias novidades nas regras do jogo. As substituições foram permitidas, embora só fossem autorizadas duas durante uma partida. Os cartões amarelos e vermelhos também começaram a ser utilizados, para substituírem o antigo modelo de advertências e expulsões. 

A estreia de El Salvador, Israel e de Marrocos em campeonatos do mundo também mereceu destaque. O formato manteve-se o mesmo, mas terminaram com o jogo de desempate em caso de igualdade na fase de grupos, sendo necessário ter em conta o saldo de golos. Nas eliminatórias, depois do prolongamento o vencedor seria definido através da sorte. 

Os anfitriões perderam nos quartos-de-final com a Itália. Um hat-trick de Rivera e um golo de Guzman enviaram os mexicanos para casa sem honra nem glória. O Brasil venceu o Peru por 4-2 com Tostão em grande destaque, enquanto o Uruguai voltava às boas exibições depois de eliminar a União Soviética. No grande desafio da eliminatória, a Alemanha Ocidental eliminou a Inglaterra com um tento de Gerd Muller no prolongamento. 

O Brasil começou a perder nas meias-finais contra o Uruguai, numa reedição do Maracanazo, mas antes do intervalo Clodoaldo igualou a partida. Na segunda parte, o domínio brasileiro só foi concretizado nos últimos quinze minutos com dois golos de Jairzinho e Rivellino. 

A partida entre Itália e Alemanha Ocidental é considerado como a melhor de sempre, a par do Coreia do Norte - Portugal no mundial anterior. Os italianos marcaram aos 9 minutos por Boninsegna, enquanto os alemães só empataram no minuto 90 Schnellinger. A emoção estava guardada para o prolongamento onde se marcaram cinco golos fruto de duas reviravoltas. Gerd Muller colocou a Alemanha Ocidental em vantagem aos 94 minutos, mas Burgnich e Riva voltaram a reestabelecer a superioridade. O avançado alemão empatou aos 110, só que Rivera marcou o tento final, aos 111. 

Na final, o Brasil não teve problemas em golear a selecção italiana. Pelé marcou aos 18, mas Boningsena empatou aos 37. No segundo tempo, só deu show de bola canarinho com três golos de Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto. 

O Brasil ganhou o terceiro título e Pelé foi novamente coroado com o prémio de melhor jogador. Gerd Muller arrecadou a bota de ouro com 9 golos.  O mundial mexicano teve mais de um milhão de espectadores nas bancadas que celebraram 95 golos em 32 jogos, o que dá uma média de 2,97.

Comentários