Team profile: Costa Rica


Os ticos foram a grande sensação do último mundial, com o apuramento para os oitavos-de-final num grupo onde estavam Uruguai, Inglaterra e Itália. Na Rússia os adversários são mais acessiveis, embora o Brasil seja claramente favorito. Contudo, perante a Suíça e a Sérvia tudo é possível porque se trata de apenas uma partida. 

Alguns dos heróis do mundial 2014 ganharam o direito de jogarem mais um evento, mesmo não estando em boa forma, como é o caso de Bryan Ruiz e Joel Campbell. Os dois devem voltar a carregar a selecção às costas, mesmo sendo necessário toda a capacidade de Keylor Navas para impedir os golos dos adversários. As esperanças recaem na prestação de três jogadores, embora haja claramente mais experiência competitiva.

Ponto forte: 

Ambição - A vontade da equipa superar todos os limites funciona a favor num grupo onde a passividade dos suíços e dos sérvios consegue resolver situações de desvantagem. Mostrar que o feito do último mundial não surgiu por acaso também pode ter efeitos positivos.

Ponto fraco

Poucas estrelas -  A falta de qualidade individual deverá ser um obstáculo importante, sobretudo perante adversários que têm uma boa organização defensiva. Bryan Ruiz não pode ser considerado um tecnicista de topo.

Playmaker

Keylor Navas - A selecção costa-riquenha tem a particularidade de ter a maior estrela na baliza. Normalmente são os avançados ou médios que decidem jogos, mas Keylor Navas deverá ser novamente decisivo como sucedeu no Brasil.

Estrela Cadente

Ronald Matarrita - O jogador ainda é desconhecido do grande público porque actua na Major League Soccer. O campeonato do mundo será um grande palco para o extremo mostrar qualidades individuais que o vão catapultar para as ligas europeias.

Comentários