World Cup 2018. Alemanha mantém a tradição iniciada em 2010

Grupo F 
3ª jornada

Coreia do Sul 2 Alemanha 0

Golo: Kim, Heung Min Son

Os campeões do mundo disseram adeus à competição na fase de grupos, mantendo uma tradição iniciado no Mundial 2010,  em que os detentores do título foram todos eliminados na primeira fase. 

A derrocada alemã começou com o resultado do outro desafio. A Suécia colocou-se em vantagem na segunda parte, obrigando a um esforço suplementar para a qual a mannschaft não estava preparada. 

O controlo territorial nem sempre garante oportunidades e golos. A aposta de Joachim Low em Muller, Mario Gomez e Julian Brandt logo a seguir às notícias do outro jogo, não resultou, já que, nenhum conseguiu ser eficaz na tarefa que tinham de executar. 

A Alemanha partiu-se totalmente, mantendo apenas Toni Kroos na linha de meio-campo, para as ajudas defensivas. Nesta altura, a Coreia do Sul conseguiu mais espaço e ocasiões, mas também pecou na finalização. Aos 65 minutos, um excelente trabalho individual de Moon na grande área poderia ter dado golo. 

O único elemento da formação europeia que tentou remar contra a maré foi Timo Werner, além de Hummels tivesse perto do golo com duas cabeçadas perigosas. Contudo, o número 9 deveria ter sido colocado na zona central do ataque porque a maior parte das iniciativas ocorreram por aquela zona, em vez de jogarem pelos flancos. Os desequilibrios individuais, nomeadamente por Ozil e Brandt, nunca apareceram, eliminando qualquer possibilidade de construir uma jogada colectiva. 

Os sul-coreanos também já não tinham hipóteses de seguir em frente, mas abandonam a competição com um triunfo histórico e motivador para as futuras edições.

Comentários