sábado, 16 de junho de 2018

World Cup 2018. França mantém as más exibições nos jogos de abertura

Grupo C
1ª jornada

França 2 Austrália 1

Golos: Antoine Griezmann, Paul Pogba - Jedinak

Os franceses cumpriram a tradição de começarem os torneios internacionais com más exibições. A qualidade dos jogadores aumenta durante a prova, mas a primeira imagem não é positiva.
 
Os cinco minutos iniciais mostraram uma equipa determinada em marcar cedo com a principal estrela em destaque, apesar do primeiro aviso ter sido de Mbappé. Contudo, Griezmann tentou desequilibrar através de um lance individual e de uma jogada colectiva de forma consecutiva.
 
A superioridade durou apenas 15 minutos, já que, os australianos conseguiram reequilibrar as forças. No minuto 16, Lloris efectuou uma grande defesa após Tolisso ter tocado a bola na direcção da própria baliza na sequência de um livre.
 
O sinal mais visível da organização australiana foi um lance aos 35 minutos em que Mooy perde a bola, mas rapidamente recupera-a de Mbappé. O empenho competitivo e o acerto táctico mantiveram os vice-campeões da Europa longe da baliza até ao final da primeira parte. A única situação de perigo surgiu aos 45 minutos por Behich.
 
Na segunda parte tudo mudou devido às duas grandes penalidades assinaladas em cada baliza no espaço de cinco minutos. Antoine Griezmann e Jedinak abriram o placard com a marcação dos castigos máximos, prometendo meia hora de futebol com emoção, já que, no plano técnico o jogo foi pobre por causa da selecção europeia.
 
Não houve grandes alterações que pudessem justificar a marcação de mais golos. A Austrália sentia-se confortável com o resultado, enquanto a França tentava encontrar um milagre para impedir que se repetissem as exibições dos últimos mundiais. Deschamps recorreu ao banco de suplentes para chegar ao triunfo. Fekir e Giroud substituíram Griezmann e Dembele. Matuidi entrou mais tarde.
 
O médio acrescentou velocidade e alguma organização, embora Mbappé continuasse a jogar de forma individual e Pogba mantivesse uma atitude passiva no terreno. Contudo, o número 6 esteve na origem do segundo golo, embora tivesse tido uma grande ajuda de Behich que colocou a bola na própria baliza.
 
Nesta fase de abertura, o que conta são os resultados, pelo que, a França ganha vantagem num grupo que poderia ser muito complicado caso houve uma necessidade urgente de qualificação.

Sem comentários:

Enviar um comentário