World Cup 2018. Golovin acaba com todas as críticas contra a selecção

Grupo A 
1ª jornada

Rússia 5 Arábia Saudita 0


Golos: Dennis Cheryshev 2, Dzyuba, Gazinski, Golovin

Os anfitriões afastaram o fantasma que pairava desde o início do campeonato por causa dos maus resultados. A resposta da equipa não podia ter sido melhor, mesmo perante um frágil oponente que volta a sofrer uma goleada em torneios internacionais.

Os russos tomaram conta da partida desde o princípio para evitarem surpresas que colocassem ainda mais pressão sobre os jogadores. No papel parecia que a intenção passava por explorar as fraquezas do adversário com calma, mas rapidamente se percebeu que não iria ser assim. A forma inicial de surpreender os sauditas passou pelos flancos, onde Mário Fernandes e Dzagoev seriam os protagonistas, para aproveitarem as entradas de Smolov na grande área.

As iniciativas de Dzagoev pelo lado esquerdo do ataque causaram enormes problemas no melhor período da equipa no primeiro tempo, que conquistou praticamente dois cantos consecutivos. No segundo, Golovin efectua uma assistência fantástica para Gazinskii inaugurar o marcador aos 11 minutos. Os árabes mostraram as primeiras fragilidades defensivas. 

A pressão da Rússia não se manteve asfixiante, mas uma linha de três jogadores conseguiu que o adversário perdesse muitas bolas e efectuasse passes errados perto da grande área. No entanto, a lesão de Dzagoev fragilizou a equipa durante o resto do primeiro tempo. A entrada de Cheryshev diminuiu as iniciativas ofensivas pelo flanco, tendo perdido duas situações perigosas de golo iminente. Na primeira aos 37, não controlou o esférico e aos 41 perdeu uma boa oportunidade para servir Smolov no coração da área. Contudo, a redenção chegou um minuto depois com a marcação do 2-0. Na segunda parte, bisou com um grande golo nos descontos. 

As duas ocasiões criadas pelos asiáticos sucederam aos 20 minutos da primeira parte por Ahlsahlawi e aos 55 por Taseer, num jogada em que o número 10 também esteve envolvido. No resto do encontro, apenas se notaram desorientações gritantes para uma selecção participante no mundial. 

Na segunda parte, a Rússia abrandou o ritmo, embora tenha marcado mais golos que no primeiro tempo. Dzyuba, Golovin e o segundo golo de Cheryshev trouxeram justiça ao resultado. Nos últimos dez minutos, houve maior vontade de marcar para começar a ganhar vantagem no goal-average. O médio Golovin realizou uma exibição de luxo com duas assistências, a participação no segundo golo e a marcação de um livre directo.

Uma exibição convincente do anfitrião que pode servir de motivação para o resto da fase de grupos perante adversário mais fortes. 

Comentários