World Cup 2018. Croácia regressou ao futebol mágico da primeira fase

Meia Final

Croácia 2 Inglaterra 1
após prolongamento

Golos: Ivan Perisic,  Mario Mandzukic - Kieron Trippier


O primeiro golo do mundial marcado no prolongamento deu uma presença histórica aos croatas na final. 

O golo de Mandzukic aos 109 minutos chegou tarde, já que, a Croácia merecia a vitória durante a segunda parte do tempo regulamentar. O futebol mágico da primeira fase, que desapareceu nas duas rondas anteriores, regressou em força para atemorizar um adversário bastante prometedor, embora com algumas falhas. 

As oportunidades de Perisic depois do golo aos 68 minutos eram suficientes para garantir uma vantagem sólida. Contudo, a defesa inglesa conseguiu adiar o problema aos 81 e 83 minutos, embora também seja verdade que Lingard poderia dar uma alegria aos 77 minutos, semelhante ao presente que Kieron Trippier conseguiu no quinto minuto através de um excelente livre directo. 

Na primeira parte assistiu-se ao mesmo filme de outros jogos, em que os ingleses ganham uma motivação extra sobre o adversário, pressionando alto, utilizando os jogadores mais criativos. O problema é que a qualidade desce bastante com o decorrer dos minutos. 

A sorte inglesa está relacionada com a falta de forma dos croatas, que necessitaram de dois prolongamentos e do desgaste provocado pelo mesmo número de desempate por grandes penalidades para igualarem a melhor presença em mundiais. A verdade é que a partir da meia-hora, começou a surgir pelo génio de Modric, que jogou um pouco mais adiantado no terreno, e a capacidade de Rebic em provocar desequilíbrios dentro da área. Vrsljako voltou a exibir-se em grande plano, nomeadamente no cruzamento para o primeiro de Perisic.

A justiça da passagem croata não tem discussão. A selecção atinge pela primeira vez a final de um mundial, confirmando a boa forma iniciada no Euro 2016. 

Comentários